Por muito tempo esse espaço esteve parado...
Foi criado para percorrer um determinado caminho mas acabou esquecido e abandonado na primeira curva.
Que esse caminho floresça, ainda que não siga
exatamente o traçado original.
Seja nosso (a) companheiro(a) nessa jornada, se assim o desejar.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------Heloisa
--------------------------------------------------------------------------------------------------------- obomcaminho@gmail.com

O reflexo das nossas buscas, encontros e desencontros pelos caminhos da Vida.

sábado, 26 de março de 2011

Estou lendo

O Caminho do Xamã
Um guia para manter a saúde e desenvolver o poder de curar
Michael Harner

Cheguei a ele depois de me interessar pelo Cyberxamanismo (que falarei noutra hora). Fiz o caminho inverso, começando pelo final e depois indo às origens. Uma característica minha, coisa bem netuniana, de precisar ver o que vem depois. Ficam alguns trechos para quem se interessar pelo tema. Se desejar baixar o livro, clique na capa.



O antropólogo Michael Harner leva-nos com este livro a viver uma odisséia pessoal até a fonte da cura xamânica, o nosso eu mais profundo. Passo a passo, ele ensina ao leitor técnicas e exercícios simples para alcançar os estados alterados de consciência sem droga — o caminho do xamã para a integridade psicofísica e a cura.

No xamanismo, antigo sistema pouco conhecido no Ocidente, está um auxiliar inestimável da medicina moderna, e um trabalho cativante de investigação psicológica e espiritual.

Os Xamãs — conhecidos no mundo "civilizado" como "curandeiros" ou "feiticeiros" — preservam um notável conjunto de antigas técnicas, que usam para obter e manter o bem-estar e a cura para eles próprios e para os membros das suas comunidades. Esses métodos xamânicos revelam-se de notável semelhança em todo o mundo, mesmo para povos cujas culturas são bastante diversas sob outros aspectos, povos que estão separados uns dos outros por oceanos e continentes, há dezenas de milhares de anos.

O xamanismo é uma grande aventura mental e emocional, onde tanto o paciente como o curandeiro xamã ficam envolvidos. Através de sua heróica viagem e de seus esforços, o xamã ajuda seus pacientes a transcenderem a noção normal e comum que têm acerca da realidade, inclusive a noção de si próprios como doentes. Faz sentir aos seus pacientes que eles não estão emocional e espiritualmente sozinhos em suas lutas contra a doença e a morte.


Primeiro exercício do xamanismo

Antes de empreender este ou outro exercício xamânico, espere até estar calmo e relaxado. Evite substâncias psicodélicas ou alcoólicas durante as vinte e quatro horas precedentes, para que você possa centralizar muito bem seu poder de concentração e manter a mente livre de fantasias perturbadoras. Coma pouco ou nada durante as vinte e quatro horas precedentes. Escolha uma sala escura e tranqüila. Respire algumas vezes profundamente. Relaxe as pernas e os braços, depois de tirar os sapatos, afrouxar a roupa e deitar-se confortavelmente no chão, mas sem travesseiro. Fique aí deitado por alguns minutos e pense na missão que tem pela frente. Então, feche os olhos, colocando a mão ou o antebraço sobre eles, para não deixar entrar nenhuma luz.

Agora, visualize uma abertura na terra, algo que você se lembre de ter visto algum dia em sua vida. Pode ser uma passagem de que se recorde de sua infância ou alguma que tenha visto na semana anterior ou mesmo no próprio dia. Qualquer entrada na terra servirá — pode ser um buraco feito por algum animal para sua toca, um tronco oco de árvore, uma nascente ou mesmo um pântano. Pode ser até mesmo um buraco feito pelo homem. A entrada certa é a, que lhe parecer confortável e possível de ser visualizada. Observe essa entrada durante alguns minutos, sem ir até ela.

Note seus detalhes, claramente. Visualize a entrada que você conhece na terra, entre nela e comece sua viagem. Atravesse a entrada e entre no Túnel. De início, o Túnel pode parecer escuro e nebuloso. Quase sempre ele entra pela terra um pouco de viés mas, às vezes, desce em declive. Em certas ocasiões, dá a impressão de ser rugoso e, com freqüência, se curva. Há ocasiões em que o viajante passa tão depressa que isso nem é visto. Seguindo pelo Túnel, o viajante pode encontrar uma parede natural de pedra ou outro obstáculo qualquer. Quando isso acontecer, dê a volta em tomo do obstáculo ou passe por alguma fenda que ele apresente. Se isso não der certo, volte, simplesmente, e tente outra vez.

Seja como for, não se canse demais ao fazer sua viagem. Se a fizer corretamente, será talvez desnecessário esforçar-se demais. O sucesso da viagem e da "visão" depende da atitude que se toma entre tentar demais e não tentar o suficiente.

Ao fim do Túnel, você atravessará portas. Examine detalhadamente a paisagem, viaje por ela e recorde seus aspectos. Explore até receber o aviso para voltar e, então, suba de volta através do Túnel, da mesma forma pela qual desceu. Não traga nada consigo, quando voltar. Essa sua viagem é apenas de exploração.

Quando, na volta, tiver emergido, sente-se e abra os olhos. Não desanime se não o conseguir da primeira vez.

Nenhum comentário: