Por muito tempo esse espaço esteve parado...
Foi criado para percorrer um determinado caminho mas acabou esquecido e abandonado na primeira curva.
Que esse caminho floresça, ainda que não siga
exatamente o traçado original.
Seja nosso (a) companheiro(a) nessa jornada, se assim o desejar.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------Heloisa
--------------------------------------------------------------------------------------------------------- obomcaminho@gmail.com

O reflexo das nossas buscas, encontros e desencontros pelos caminhos da Vida.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Tenho pensado muito sobre o Destino...
Nem sempre a gente entende de imediato as coisas que acontecem na nossa vida.
O pior momento é aquele intervalo entre o que você desejava não se realizar e o outro momento, às vezes distante, em que você vai entender o porquê foi melhor aquilo não ter acontecido.
Um exemplo simples aconteceu comigo no ano passado: tivemos uma oportunidade de nos mudarmos para a cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Ficamos bastante felizes com essa ideia por que eu adoro a cidade, o clima, e também porque é pertinho do Rio, dos meus amigos que estão lá e dos quais sinto muitas saudades.
Começamos a procurar lugares e casas em Petrópolis. Como eu já conheço bastante a região, concentrei minhas buscas no lugar que sempre sonhei morar: o Vale do Cuiabá. Entramos em contato com imobiliárias, vimos anúncios na internet, mas nada que encontramos estava dentro dos nossos recursos.
Logo depois, a possibilidade que tínhamos de nos mudarmos se desfez de repente, quase que de uma hora pra outra, e ficamos sem entender. Pra falar a verdade, ficamos frustrados, sem entender o que o destino desenhava pra nós. Foi somente quando vimos as notícias do temporal e de como foi atingido o Vale do Cuiabá, entendemos. E agradecemos ao Universo não termos ido, por que possivelmente perderíamos tudo.

No momento que vivemos agora, a situação está se repetindo: uma nova possibilidade de trabalho e mudança que não se concretiza; e novamente estamos com a estranha sensação de que o destino atua sem o nosso entendimento.
Confesso que a frustração voltou e tenho tentado lidar com ela da melhor maneira possível. Não é fácil...
Fiz muitas opções ao longo da minha vida, mas reconheço que em todas elas houve pouca margem de manobra nas escolhas. Não posso dizer que sempre fiz as melhores escolhas, mas sempre retirei daquilo que se apresentou grandes lições.
Algumas dessas lições só “caíram a ficha” tempos depois, outras ainda estão caindo. De uma ou outra, hoje talvez, tivesse uma atitude diferente em relação ao que fazer; a maioria delas, faria igualzinho fiz no passado.
Por mais que esse momento esteja sendo complicado e essa “espera” angustiante, venho tentando fazer desse momento de “não ação” uma oportunidade de analisar esse meu destino, para a partir dessas reflexões entender por onde caminhar, quando a hora do movimento chegar. E vai chegar, sempre chega. Basta confiar. E eu confio que vamos seguir em frente, só não sabemos ainda quando será.
Ou melhor, será no momento que tiver que ser e estaremos prontos, porque estamos trabalhando pra isso.
Que venha a nossa hora!

Nenhum comentário: