Por muito tempo esse espaço esteve parado...
Foi criado para percorrer um determinado caminho mas acabou esquecido e abandonado na primeira curva.
Que esse caminho floresça, ainda que não siga
exatamente o traçado original.
Seja nosso (a) companheiro(a) nessa jornada, se assim o desejar.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------Heloisa
--------------------------------------------------------------------------------------------------------- obomcaminho@gmail.com

O reflexo das nossas buscas, encontros e desencontros pelos caminhos da Vida.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Afinidade espiritual

A fase preparatória para uma nova reencarnação é muito importante para os espíritos que irão reencarnar. Este período já inicia mesmo antes do encarne, passa pela vida uterina e continua na infância até a fase adulta. Mesmo assim o espírito, dependendo do seu nível evolutivo e das limitações do planeta em que se encontra reencarnado, pode não atingir todo o seu "potencial de conscientização".

As diferenças individuais se acentuam muito quando se observa duas pessoas com níveis de evolução muito distantes. Para um espírito que já tem uma longa "bagagem" evolutiva, a fase da infância não se torna uma longo período de espera para iniciar o seu trabalho de aperfeiçoamento. Ele inicia a sua missão muito cedo, ainda como criança. Nesses casos, o que observamos são comportamentos que chamamos de "avançados" na criança, tais como: a vontade de ser independente dos pais e procurar resolver os seus próprios problemas; a responsabilidade pelos seus deveres; a busca incessante do conhecimento e compreensão de tudo que está ao seu alcance; às vezes, a própria revolta por ser tratado como criança e a vontade se tornar um adulto o mais rápido possível, etc. Para este, a responsabilidade dos pais é muito grande e a tentativa do entendimento do seu comportamento conforme seu próprio nível evolutivo, certamente promove um relacionamento muito amigável e feliz para ambos.

As afinidades espirituais se processam conforme os diversos níveis evolutivos existentes. Existem grupos de pessoas com uma vida fútil, sem maiores interesses, praticamente "parada". Outros vivem em nível de extrema maldade e a agressão é um sentimento constante. Há também os que tem afinidades pelo trabalho honesto e produtivo pelo bem comum e a busca constante do conhecimento. É praticamente impossível designar os muitos grupos de pessoas com as diversas afinidades.

O fato é que as pessoas são atraídas pela afinidade espiritual e quanto mais sentimentos estiverem afins, maior será a afinidade total. Nesse processo associa-se ainda a ação física do espírito com a emissão de fluidos vibratórios. Os fluídos são mais "grosseiros" nos espíritos mais atrasados e eles vão se tornando mais "puros" a medida que o espírito avança em sua escala evolutiva. Essas ondas vibratórias são perceptíveis por todos nos de alguma forma e podemos ter afinidade espiritual simplesmente ao encontrar com uma pessoa do mesmo nível ou de nível mais elevado, ou mesmo sentir a sua ação fluídica a longa distancia.

Também é possível uma pessoa encontrar com outra pela primeira vez e dizer: "não fui com a cara dela". Aí não houve uma afinidade e sim um repúdio provocado pelas diferentes emissões vibratorias.

Uma situação não fácil de ser vivida é uma reencarnação de um espírito de evolução baixa numa família de evolução mais alta e no caso contrário, a situação será muito difícil para o espírito de evolução mais elevada numa família de baixo nível. Porém, as possibilidades de reencarnações são muitas e todas tem um só objetivo que é o aperfeiçoamento espiritual.

A fase de preparo, portanto, é necessária para que o espírito se adapte a sua nova oportunidade de evolução, adequando-o a uma nova experiência.

O espírito porém, não é capaz de esquecer completamente as suas vivências anteriores e constantemente relembra suas experiências passadas. O gosto pela musica, ou certo tipo de musica; o pavor a certas situações como fogo, lugares fechados, escuros, etc.; a paixão por esportes, ou certo tipo de esporte; pelo estudo, leitura, arte, enfim, todas as ações que fazem os indivíduos serem distintos uns dos outros, são produtos de suas experiências vividas durante muitas reencarnações passadas. Até na sua aparência física, como no ato de se vestir ou se arrumar pode estar a marca de seu passado.

Evidentemente, se uma nova oportunidade é oferecida, há também a renovação das situações na procura de novos caminhos para sua evolução. Também aqui o nível de evolução tem muita influencia no processo de reconhecimento do passado e sempre ao espírito mais elevado cabe-lhe a maior proporção, pois não há muita necessidade de se "apagar" o seu passado, tendo em vista que ele, já provavelmente, resgatou suas situações difíceis e não são mais necessárias viver outras novamente.

Mudanças drásticas de comportamento entre reencarnações como alteração do sexo, promovem, via de regra, recordações mais acentuadas, mas tudo depende exclusivamente de cada individuo.

O espírito poderá experimentar novas alternativas para a sua evolução e mudar completamente o seu trabalho numa nova reencarnação. Outros preferem continuar na mesma linha de ação e prosseguem dessa forma em varias reencarnações. Tudo é avaliado e analisado e o melhor caminho é proposto, porem o melhor, não significa o mais fácil. É comum observarmos no nosso dia a dia, o que chamamos de "dom", como se diz. por exemplo: "Ele nasceu para isso". Assim, observamos políticos e oradores com o "dom" da palavra; professores com o "dom" de ensinar; músicos com o "dom" ou "talento" para a musica, etc. De fato, o espírito muitas vezes já adquiriu longa experiência em sua área de atuação antes da atual reencarnação e para ele, obviamente, o seu trabalho será muito mais fácil do que para um outro que esta iniciando agora.

O que deve ser ressaltado, é que nada ocorre ao acaso. O espiritismo nos esclarece que não há efeito sem causa. O "dom" realmente existe e não é fruto do acaso, mas sim do trabalho já iniciado anteriormente. Alguns matemáticos, físicos, astrônomos e filósofos da antiguidade, não "ganharam" o "dom" de fazer cálculos fantásticos e precisos, mas as suas condições de "superdotados" são os efeitos de seus próprios esforços, longos e dedicados, e por vezes, as custas de muito sofrimento já produzidos através de muitas reencarnações e experiências anteriores. Quando um cientista passa horas e horas, anos e anos em seu laboratório procurando o conhecimento de algo, ou um pintor passa toda a sua vida aperfeiçoando a sua arte, certamente adquire uma experiência grandiosa. Isso nunca mais se "apaga" pois passa a fazer parte da sua própria consciência ou espírito, constituindo a sua personalidade. Todos sabemos o quanto é válido e importante uma experiência vivida, pois se precisarmos passar uma mesma situação novamente, poderemos fazê-la de modo muito mais fácil, evitando os erros já ocorridos e assim sucessivamente iríamos melhorando vez por vez.

Nesse enfoque, quando dizemos que um velho tem mais experiência que um jovem, podemos estar cometendo um erro, pois não conhecemos a idade real dos espíritos envolvidos e suas experiências vividas anteriormente. Isso pode ser correto, somente se observarmos o tempo vivido nesta única reencarnação.

A reencarnação é uma prova máxima da verdadeira justiça Divina e a teoria simplista e privilegiante de que indivíduos nascem com o "dom" de uma inteligência superior e outros como miseráveis por ordem Divina, deve ser descartada pela nossa razão. Tudo é produto do modo de vida a que cada um decide seguir. "A cada um segundo suas obras".

Com a reencarnação compreendemos que todo o conhecimento adquirido com muito "suor", sem a preocupação com o retorno material, mas simplesmente pela satisfação pessoal e todo o bem que praticamos, não são em vão e sim sinônimos de uma vida melhor no futuro.


(O texto acima é assinado por “franz” e foi publicado no Grupo de Estudos Avançados Espíritas, em 1993.)

Nenhum comentário: