Por muito tempo esse espaço esteve parado...
Foi criado para percorrer um determinado caminho mas acabou esquecido e abandonado na primeira curva.
Que esse caminho floresça, ainda que não siga
exatamente o traçado original.
Seja nosso (a) companheiro(a) nessa jornada, se assim o desejar.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------Heloisa
--------------------------------------------------------------------------------------------------------- obomcaminho@gmail.com

O reflexo das nossas buscas, encontros e desencontros pelos caminhos da Vida.

sábado, 4 de junho de 2011

Baraka

Baraka é uma palavra Sufi, que pode ser traduzida simplesmente por bênção ou por essência da vida.

Em 1992, um documentário – ou como é mais conhecido, um poema visual – sem diálogos ou textos escritos, foi produzido para mostrar o que há de doentio e espiritual no mundo em que vivemos. Suas imagens traduzem a angústia e a esperança de diversos povos na busca por Deus e na relação com a Natureza.

Baraka é um filme sobre a vida, um registro da humanidade que propõe não uma aceitação do que somos, mas a reflexão de que estarmos acostumados com alguma coisa não quer dizer que ela seja correta, assim como algo de outra cultura nos chocar não significa que seja algo ruim ou bárbaro.  

Segundo os críticos, Baraka é um filme que, de modo não-verbal e não-linear, discute o sagrado e o humano; a ordem natural e a entropia; a santidade e o materialismo. Portanto, é um filme dialético, totalmente dependente da percepção e interpretação do espectador.

Não importa quem você seja ou onde viva: você também está em Baraka.

“Por vezes, diz-se: Deus pode tudo! Não, Deus não pode tudo, Deus não pode senão o que pode o Amor. Porque ele não é senão o Amor. E sempre que nós saímos da esfera do amor, enganamo-nos sobre Deus e estamos a ponto de fabricar um Júpiter qualquer“.
Padre François Varrilon 

Nenhum comentário: