Por muito tempo esse espaço esteve parado...
Foi criado para percorrer um determinado caminho mas acabou esquecido e abandonado na primeira curva.
Que esse caminho floresça, ainda que não siga
exatamente o traçado original.
Seja nosso (a) companheiro(a) nessa jornada, se assim o desejar.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------Heloisa
--------------------------------------------------------------------------------------------------------- obomcaminho@gmail.com

O reflexo das nossas buscas, encontros e desencontros pelos caminhos da Vida.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

20 de janeiro - que os caboclos nos protejam

Todo ano, no dia 20 de janeiro, a procissão de São Sebastião 
sai da Igreja de São Sebastião dos Frades Capuchinhos, 
na Tijuca (RJ), e vai até a estátua do santo, localizada na Praça do Russel, 
no bairro da Glória

De acordo com Santo Ambrósio de Milão, Sebastião era um soldado alistado no exército romano por volta de 283 d.C.. Era querido pelos imperadores Dioclesiano e Maximiliano, que ignoravam tratar-se de um cristão e, por isso, o designaram capitão da sua guarda pessoal, a Guarda Pretoriana. Mas, a sua conduta branda com os prisioneiros cristãos levou-o a ser julgado e condenado como traidor, tendo sido ordenada sua execução por meio de flechas (que se tornaram símbolo na sua representação). Foi dado como morto e atirado no rio, porém, Sebastião não havia falecido. Encontrado e socorrido por Irene, apresentou-se novamente diante de Diocleciano, que ordenou então que ele fosse espancado até a morte. Seu corpo foi jogado no esgoto público de Roma. Luciana (Santa Luciana, cujo dia é comemorado em 30 de Junho) resgatou ocorpo, limpou-o e sepultou-o nas catacumbas.

Escultura de Oxóssi no Dique do Tororó,
em Salvador, de Tati Moreno
No sudeste do Brasil, principalmente no Rio e em São Paulo, São Sebastião é sincretizado a Oxóssi, o senhor das matas, que alia força e bom-senso.

Durante a diáspora negra, muitos escravos que cultuavam Oxóssi não sobreviveram aos rigores do tráfico e do cativeiro, mas, ainda assim, o culto foi preservado no Brasil e em Cuba pelos sacerdotes sobreviventes. Oxóssi se transformou então, no Brasil, num dos orixás mais populares, tanto no candomblé, quanto na umbanda, onde é patrono da linha dos caboclos, uma das mais ativas da religião.

Oxóssi é a expansão dos limites, do campo de ação; a caça é uma metáfora para o conhecimento, a expansão maior da vida. Ao atingir o conhecimento, Oxóssi acerta o seu alvo. Por este motivo, é um dos Orixás ligados ao campo do ensino, da cultura, da arte.

Nas antigas tribos africanas, cabia ao caçador, que era quem penetrava o mundo "de fora" (a mata) trazer tanto a caça quanto as folhas medicinais. Eram os caçadores que localizavam os locais para onde a tribo poderia futuramente se mudar ou fazer uma roça.

Assim, Oxóssi é responsável pela transmissão de conhecimento, pelas descobertas. O caçador descobre o novo local, mas são os outros membros da tribo que instalam a tribo neste mesmo novo local. Oxóssi descobre o lugar, a possibilidade, mas quem conduz a tribo até lá é Ogun (seu irmão).

Oxóssi representa a busca pelo conhecimento puro: a ciência, a filosofia, enquanto cabe a Ogum a transformação deste conhecimento em técnica.

Apesar de ser possível fazer preces e oferendas a Oxóssi para os mais diversas facetas da vida, pelas características de expansão e fartura desse orixá, os fiéis costumam solicitar o seu auxílio para solucionar problemas no trabalho e desemprego. Afinal, a busca pelo pão de cada dia, a alimentação da tribo, costumeiramente cabe aos caçadores.

(Fonte: Wikipedia)


Hoje é dia pedir a abertura dos caminhos, a fartura e a prosperidade 
que vem com o trabalho. Que os Caboclos nos guiem, nos protejam e 
ajudem a prover as necessidades espirituais e materiais da nossa família.