Por muito tempo esse espaço esteve parado...
Foi criado para percorrer um determinado caminho mas acabou esquecido e abandonado na primeira curva.
Que esse caminho floresça, ainda que não siga
exatamente o traçado original.
Seja nosso (a) companheiro(a) nessa jornada, se assim o desejar.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------Heloisa
--------------------------------------------------------------------------------------------------------- obomcaminho@gmail.com

O reflexo das nossas buscas, encontros e desencontros pelos caminhos da Vida.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Nas Ondas Do Mar

Carlos era um Umbandista dedicado. Sempre folheava textos, procurava artigos interessantes na internet, lia bons livros. Também fazia muitas reflexões e questionamentos acerca da Umbanda:
- Por quê defumamos o terreiro? Por quê bate-se cabeça? Por quê alguns terreiros trocam as cores das velas para determinados Orixás?
E assim foi seguindo na sua caminhada, formando a sua gama de conhecimentos. Em Janeiro foi à Praia, viagem de férias. “Vou aproveitar para ir no mar e pedir as bençãos para Iemanjá”!Caminhou em direção ao mar. Ao chegar no primeiro contato com a água saudou, pediu licença e começou suas orações e cânticos, sempre reverenciando Iemanjá. Fez seus pedidos, seus agradecimentos. A partir daí começou a curtir o mar. Estava calor e a água límpa. Nesse instante surgiu mais uma de suas indagações: Por quê algumas ondas são mais altas, outras mais baixas? E por quê algumas são mais fracas e outras fortes? Existiria alguma relação com a Umbanda? Parecia coisa de louco, mas era exatamente assim que Carlos se comportava. E continuou a nadar. Em determinado momento uma onde forte o atingiu, deixando-o meio atordoado. Foi quando viu uma mulher, vestida de azul, cabelos pretos e compridos, andando sob a água.
- Ô minha mãe! Odociá Iemanjá! Saravá suas forças!
- Oi meu filho! Você pensou que eu não existisse, não é?
- Longe disso! Só não esperava vê-la! E foi tomado de um choro profundo!
- Calma, Carlos! Isso só vai te aliviar! Eu vim responder à sua pergunta! Existe sim uma relação das ondas do mar com a Umbanda!
- E qual seria minha mãe?
- Cada onda do mar significa um obstáculo que devemos sobrepor na vida. Alguns são pequenos e fáceis, logo exigem pouco esforço. Outros, no entanto, são maiores e mais difíceis, e dependem de muito esforço, conhecimento e persistência. Mas não devem se enganar, pois algumas parecem pequenas, mas são fortes. A vida de vocês na Terra é como nadar no mar: tem que estar atento às ondas e saber passar por elas,
evitando que seja derrubado! Por esse e outros motivos é que a nossa querida Linha dos Marinheiros é tida como sendo uma das linhas doutrinadoras, pois esses espíritos conhecem mais do que ninguém as adversidades da vida!
Carlos sorriu com a resposta e sentiu seu rosto ser tocado. Entregou-se à energia e parecia dormir.
Ainda viu Iemanjá, cuja silhueta estava diminuindo dentro de uma luz muito intensa. Aos poucos ela foi desaparecendo.
- Carlos! Acorda Carlos! Ainda atordoado, acordou, olhou para os lados, e viu que um grupo de pessoas que estava ao seu lado. Logo percebeu um salva vidas e, ao seu lado, sua esposa.
- Mas, o que aconteceu? -perguntou.
- Olha, nem nós sabemos, mas as pessoas viram você sendo derrubado por uma onda! E, segundo testemunhas, não era grande o suficiente para isso acontecer. Ficamos assustados! - disse ela.
- Tem certeza? Porque, se fosse grande, eu com certeza teria adotado uma outra conduta!
- Sim, disso sabemos, mas todos pensaram que você tinha passado mal! - retrucou sua esposa.
Carlos logo entendeu o que acontecera. E lembrou-se das palavras de Iemanjá.
Percebeu que a sua conduta precisava melhorar. Precisava sim estudar e questionar as coisas da religião de Umbanda, mas, estava faltando o mais importante: por em prática os conhecimentos adquiridos e não subestimar as adversidades da vida, pois ondas pequenas também derrubam.

Nenhum comentário: