Por muito tempo esse espaço esteve parado...
Foi criado para percorrer um determinado caminho mas acabou esquecido e abandonado na primeira curva.
Que esse caminho floresça, ainda que não siga
exatamente o traçado original.
Seja nosso (a) companheiro(a) nessa jornada, se assim o desejar.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------Heloisa
--------------------------------------------------------------------------------------------------------- obomcaminho@gmail.com

O reflexo das nossas buscas, encontros e desencontros pelos caminhos da Vida.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Contos de Fada

Houve um tempo, quando o mundo ainda era jovem, que todos os mundos eram
interligados e todas as raças viviam juntas. Homens, Elphos, Gnomos, Duentes, Gigantes, Fadas, etc. Todos pertenciam a um só reino e, se não era o mesmo reino, todos os reinos estavam interligados por portais onde se podiam entrar e sair livremente, porque todos eram amigos. A doçura, a simplicidade, a amizade eram coisas sagradas e nem era preciso ensinar isso a ninguém, porque era algo natural, fazia parte da índole de todos. Só existia uma raça que viva separada de todas as raças, eram os Djins (Génios). Era uma raça tão antiga quanto o tempo da criação. Eles eram sábios, porém invejosos e por isso mesmo queriam destruir a Grande Obra do Criador. Então o criador limitou-os obrigando-os a viver separados de toda a sua criação, presos no espaço-tempo alheios a tudo o que pudesse acontecer no seu reino. Porém um dia um Djin conseguiu escapar do abismo e foi visitar o reino das criaturas de Deus. Os Djins não eram criaturas de Deus, eles dormiam e foram despertados pelo Todo no momento da Criação, onde todas as energias ouviram o seu chamado e se submeteram a Ele num grande estrondo AUM, AUM, AUM.... Na sua visita ao Reino o Djin que levava o nome de Egus encheu-se de inveja e revolta por ver um mundo tão lindo e cheio de cores, bem diferente das profundas trevas em que vivia... sentiu raiva de todos e queria que todos sofressem. Então foi tentar os Elphos para plantar neles a semente da destruição, mas estes eram criaturas muito divinas para se deixarem influenciar. Também não conseguiu nada com as fadas, porque eram muito puras. Prometeu riquezas aos Gnomos, mas estes já eram ricos o quanto baste... Foi então tentar o Homem que era a raça mais jovem e inocente que vivia sobre a Terra. E perguntou ao homem porque eles não eram tão belos e ágeis como os Elphos, tão ricos como os Gnomos, porque não eram tão altos como os Gigantes e nem tinham poderes mágicos como as Fadas e assim foi envenenando a alma do homem, enchendo-o de inveja... O homem então deixou de se ver a si mesmo, as suas belezas, os seus dons, as suas qualidades e só enxergava as suas limitações. Movidos pela inveja tentaram fecundar Elphas para no futuro serem uma raça mais ágil e bela, ultrajados os Elphos fecharam os portais que davam acesso ao seu reino e isolaram-se dos homens. Tentaram roubar os Gnomos e estes indignados também fecharam os seus portais. Os pequeninos duendes e anões assustados também fecharam as suas entradas. As Fadas trancaram-se porque elas só se comunicam com criaturas puras de coração. E assim todas as criaturas mágicas que antes eram amigas do homem e lhe ensinavam e mostravam coisas muito belas foram afastando-se e fechando os seus portais. Só restaram os Gigantes, mas estes foram incumbidos de procurar e enfrentar os Djins e as suas pestes e foram praticamente quase todos destruídos. Então os homens ficaram sozinhos no seu reino, que foi contaminado por Egus e ainda continua sob a sua maldição. Mas, algumas pessoas que ainda possuem doçura e amor no coração conseguem comunicar com os antigos amigos e estes às vezes ainda vêm ajudar mas raramente abrem os seus portais mesmo para as pessoas de alma pura. Infelizmente para a maioria da humanidade esta realidade está perdida no espaço-tempo das suas memórias. Os homens esqueceram dos seus antigos amigos e trancaram-se também no seu mundinho. Mas os Elphos, as fadas, os Gnomos e Duendes, não se esqueceram, eles ainda se lembram de nós e estão à espera que nos purifiquemos para tudo voltar a ser como era antes...


(Autor desconhecido)

Nenhum comentário: