Por muito tempo esse espaço esteve parado...
Foi criado para percorrer um determinado caminho mas acabou esquecido e abandonado na primeira curva.
Que esse caminho floresça, ainda que não siga
exatamente o traçado original.
Seja nosso (a) companheiro(a) nessa jornada, se assim o desejar.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------Heloisa
--------------------------------------------------------------------------------------------------------- obomcaminho@gmail.com

O reflexo das nossas buscas, encontros e desencontros pelos caminhos da Vida.

sexta-feira, 2 de março de 2012

O que levar

Um homem já de certa idade entrou no ônibus. 


Enquanto subia, um de seus sapatos escorregou para o lado de fora. Mas a porta se fechou e o ônibus saiu, e não foi possível recuperá-lo. 


Tranquilamente, o homem retirou seu outro sapato e jogou-o pela janela.


Um rapaz, vendo o que acontecera, perguntou: notei o que o senhor fez. Por que jogou fora seu outro sapato? 
Eu agi de forma que quem o encontrar seja capaz de usá-los. Provavelmente, apenas alguém necessitado dará importância a um sapato usado encontrado na rua. E de nada lhe adiantará apenas um pé de sapato. 


Assim, o homem mostrava ao jovem que não vale a pena agarrar-se a algo simplesmente por possuí-lo, nem por que você não deseja que outro o tenha. 


Perdemos coisas o tempo todo. 


A perda pode nos parecer penosa e injusta inicialmente, mas a perda só acontece de modo que mudanças, na maioria das vezes positivas, possam ocorrer em nossa vida. Como o homem da história, nós temos que aprender a nos desprender. 


Alguma força decidiu que era hora daquele homem perder seu sapato. 
Talvez isso tenha acontecido para iniciar uma série de outros acontecimentos bem melhores para o homem do que aquele par de sapatos.
Talvez a procura por outro par de sapatos tenha levado o homem a um grande benfeitor.
Talvez uma nova e forte amizade com o rapaz do ônibus. 
Talvez aquele rapaz precisasse presenciar aquele acontecimento para adotar uma ação semelhante. 
Talvez a pessoa que encontrou os sapatos tenha, a partir daí, a única forma de proteger os pés.


Seja qual for a razão, não podemos evitar perder coisas. 
A propósito, algumas perdas são até necessárias… O homem sabia disso. 
Um de seus sapatos tinha saído de seu alcance. O sapato restante não mais o ajudaria, mas seria um ótimo presente para uma pessoa desabrigada, precisando desesperadamente de proteção do chão.


Acumular posses não nos faz melhores nem faz o mundo melhor. 

Todos temos de decidir constantemente se algumas coisas devem manter seu curso em nossa vida, ou se é melhor seguir sem elas.

Desconheço a autoria dessas palavras, mas reconheço sua pertinência.
Muitas e muitas vezes tive que fazer ajustes no curso da minha vida
e nem sempre esses ajustes foram fáceis ou levaram aonde eu desejava ir.
Novos caminhos nem sempre possuem o traçado que achamos ideal
ou nos trazem experiências que sonhamos viver.
De qualquer forma, todos nos trazem aprendizado.

O que fazer com o que aprendemos é opção de cada um, dentro de suas possibilidades.

Um bom final de semana a todos!

Heloisa

3 comentários:

Edna Freitass disse...

Valéria e Heloísa, é muito bom amanhecer o dia com esta reflexão O QUE LEVAR. Gosto das leituras oferecidas neste espaço. Gosto, ainda, de perceber o carinho, o cuidado com o qual vcs cuidam deste CAMINHO, desta caminhada. Parabéns.
Abraços literários.
Edna Freitass
www.leituraservidanarede.com

O Bom Caminho disse...

Edna,
obrigada pelo seu comentário carinhoso! Seja sempre bem-vinda!
E que as boas energias estejam sempre ao seu lado.
Heloisa

Valéria disse...

Querida Edna, agradecemos suas visitas ao blog!

Heloisa, a mensagem foi pra mim muito importante, visto que sofro perdas a cada dia ultimamente.....ganho também, não posso negar!

A propósito: meu computador volta a dar sinal de melhoras!

Beijos

Valéria